segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Outro guarda acusado de favorecer Lil Wayne em Rikers Island

Outro guarda acusado de favorecer Lil Wayne em Rikers Island

Um guarda da prisão de Rikers Island pode ser punido disciplinadamente por ter dado privilégios ao rapper Lil Wayne.

O The New York Post alega que o capitão Brown pode ter deixado Weezy permanecer na cela, enquanto os outros presos receberam ordens de sair de suas camas e ir para o pátio de recreação.

A prisão de Rikers Island tem uma política de tolerância zero contra favorecimento para qualquer preso. Em abril, apenas um mês depois de Tunechi ter começado a cumprir sua pena por posse ilegal de arma, uma guarda foi demitida por ficar espionando Lil Wayne. Amelia Negron foi demitida por entrever Weezy, apesar dela negar a acusação, alegando que seu chefe que a forçou a confessar o ato.

Está não é a primeira vez que um rapper causa controvérsia em Rikers Island. Em Junho de 2009, foi revelado que Foxy Brown recebeu tratamento preferencial durante os 9 meses que passou na prisão de Rikers Island em 2006. O rapper escondia fotos, e foi alegado que recebia ilimitadas ligações, roupas de luxo, refeições de fora da cadeia e podia assistir TV sem limitação.

Oficiais do departamento de Nova York abriram uma investigação sobre as alegações do The New York Post contra Brown, que em breve será interrogado sobre as alegações.